Dólar
Euro
Dólar
Euro
Dólar
Euro

SP - Vale do Paraíba e região

Grávida de Caraguatatuba é diagnosticada com a síndrome de Guillain Barré, doença rara

.

Imagem de destaque da notícia
A paciente tem 22 anos e foi transferida para um hospital de Campinas no último sábado (25). De acordo com a família, a situação de saúde dela é delicada. A mulher foi internada na Casa de Saúde Stella Maris, em Caraguatatuba, mas conseguiu uma transferência para Campinas

Cláudio Gomes/PMC

Uma mulher grávida foi diagnosticada com a síndrome de Guillain Barré em Caraguatatuba, no Litoral Norte de São Paulo. A doença é considerada perigosa e grave pelo Ministério da Saúde, com incidência anual de um a quatro casos por grupo de 100 mil habitantes.

? Clique aqui para seguir o canal do g1 Vale do Paraíba e região no WhatsApp

Segundo a prefeitura da cidade, a paciente tem 22 anos e foi identificada como Nathalia Cristina de Assunção da Paixão, que está grávida de cinco meses.

Ela sentiu dores na perna na última semana e foi encaminhada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) à Casa de Saúde Stella Maris.

A mulher precisou ser internada na unidade, onde foi diagnosticada com a doença e recebeu cuidados de médicos especialistas, como infectologista, neurologista e ginecologista obstetra.

Por conta da gravidade do caso, a paciente passou a precisar de tratamento especializado. A família, então, a cadastrou na Central de Regulação de Oferta de Serviços da Saúde (Cross), que faz o gerenciamento de leitos no estado.

A família entrou na Justiça, que determinou a transferência de Nathalia para o Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti, de Campinas.

A transferência aconteceu no sábado (25) e a mulher seguia internada na unidade. De acordo com a família, a situação de saúde é delicada e ela corre risco de ser entubada.

Leia mais notícias do Vale do Paraíba e região

Síndrome de Guillain Barré

A síndrome de Guillain Barré é um distúrbio autoimune, ou seja, uma doença em que o sistema imunológico do corpo ataca parte do próprio sistema nervoso, que são os nervos que conectam o cérebro com outras funções.

Geralmente essa síndrome está associada a alguma infecção, entre elas a dengue, zika, chikungunia ou o vírus da Influenza A.

Segundo o ministério da Saúde, se trata de uma doença perigosa e rara, com incidência anual de um a quatro casos por grupo de 100 mil habitantes.

Os sintomas começam com sensação de dormência ou queimação nos membros inferiores, pés e pernas, e depois nas mãos e braços.

O principal risco provocado por esta síndrome é quando ocorre o acometimento dos músculos respiratórios, o que pode evoluir para a morte se não forem adotadas medidas de suporte respiratório.

Veja mais notícias do Vale do Paraíba e região bragantina

Fonte: G1.Globo

Comentários
Acesse sua conta
ou cadastre-se grátis